quinta-feira, 23 de agosto de 2007

Get Set

Ultimamente, tenho estado imersa num ambiente Java e as palavras do título são muito conhecidas por aqueles que programam nessa linguagem. Em inglês estas duas palavras juntas significam deixar pronto, preparar, "set" podendo assumir o sentindo de configurar.
O tema desse blog é exercitar a criatividade, pelo que percebi das leituras até agora, e desde que fui convidada a colaborar fiquei pensando sobre um tema para postar. Assim, em conformidade com a obsessão de programar, resolvi parar para estudar um pouco esse mundo bastante interessante e estressante e prazeroso da programação. Entretanto, contrariando a PHP-cisse do fundador, busco minha inspiração para tal estudo nas aplicações Java e na minha própria experiência de programação.
Meus dotes como programadora não são lá muitos desenvolvidos, eu confesso. A base que eu tive foi em C++, parente do Java, mas o que eu sei dessa linguagem não dá nem para fazer um "Hello World!"... Foi um contato breve, mas amigável, até que divertido. Eram os fluxogramas que irritavam!
Sem contar a brincadeira com os Z80, lidar com linguagem de máquina, mnemônicos, memória RAM... Coisa de maluco! Não podemos esquecer também do vital uso do microondas, que consiste numa programação pesada para fazer pipoca e esquentar leite.
Diante de todos os meus estudos, do acompanhamento que faço de muito jovens programadores, tirei algumas conclusões: a capacidade de programar, nem que seja no Excel, pode trazer efeitos muito benéficos a vida. Permita-me alistar alguns:

1. Lógica
O que eu mais invejo dos programadores é a capacidade de lidar com operações aritméticas, seqüências, rotinas, brincando um pouco com a psique do computador. A lógica de programação pode ser muito útil, tanto para criar aqueles programinhas utilíssimos para catalogar TCG do Pokémon e DVDs até para ter um momento relaxante diante de uma página de Sudoku 16x16 (a Google usa esse tipo de coisa para selecionar candidatos)!

2. Autodomínio
Quem programa com o tempo adquire um grande autocontrole por descobrir que é inútil ficar a exaltar a mãe daqueles que criaram e aperfeiçoaram a linguagem e os compiladores usados ao invés de se esforçar em entender o inglês maldito do tratamento de erro.

3. Motivação
Quem programa nunca se contenta ou deve fazer isso. Diante da assombrosa quantidade de linguagens disponíveis, saber uma só não é o suficiente nem viável, afinal, tem sistema rodando em Clipper até hoje! "Não me venha com essa de que quem aprende C sabe tudo!"

4. Socialização
A comunidade dos programadores é bastante unida e integrada, o que pode ser visto na grande quantidade de fóruns espalhados na Internet sobre esse assunto. Dessa forma, muito bem acomodados na sua cadeirinha nada ergonômica, no quartinho escuro, os grandes programadores passam horas a fio tirando dúvidas, conversando e jogando Counter Strike com o vizinho, tão viciado em código quanto ele, pelo MSN ou similares, ao invés de lembrarem que lá fora o dia tem 24 horas divididas entre dia e noite, que incluem horas de sol, constituindo assim numa nova espécie de animal habitante de caverna, completamente albino e com olhos sensíveis a luz.

5. Coca-cola
Dizem que programador bom é aquele que rega seu programa à Coca-cola e essa é minha parte favorita.

6. Variedade

Como já citado, existem muitas linguagens de programação para muitos tipos de uso, ser um poliglota é um grande diferencial no mercado, inclusive quando se têm um bom inglês. (E ainda assim muitas pessoas insistem em dizer que sua vontade é aprender HTML).

7. Luxúria
Nada mais prazeroso que seu código. A máquina se torna mais excitante que qualquer outro contato humano. O programa toma conta de todos os pensamentos, drena todas as energias e nada mais satisfaz como ele.

8. Sucesso profissional
Para encerrar a lista, neste tópico prefiro não descrever, mas citar alguns exemplos como Ada Lovelace, os três alemães criadores do Tibia, o web-developer do elogiado site da FIEC CEPIN e associados dele.

Com certeza, assim como eu, você também deve estar se sentindo animado e já começou 'to get set' para entrar nesse etéreo mundo do código fonte! Lembre-se que não é de sorte que você precisa, mas de muita determinação! E talvez nem ela te salve ao ler as palavras “FATAL ERROR”!

6 comentários:

Robson disse...

^_^

Hi hi Cristine-chan, rsrsrs

Thanks for sua colaboração xD ... kkkkkkkkkkk ...agora até parece que eu sou programador neh ¬¬
:P aeieuheaiuhaeiuaehiuaehiuaehiuaehiae
tá doido, das 8 eu num encaixo em quase nenhuma... hieahaeiuaehiuaeh ...
mas adorei a do final sobre o 'web developer' hehehehehehe


THANKS

Robson disse...

agora viu, java é pra loukos.. kkkk ...só olha pro sérgio :O ... quase ninguém pode ser tão doido assim.. aheiaheiuaehiuaehiuaehiu

Sono disse...

Coca-Cola é legal \o/

Kyamel disse...

Caramba, a Nique estava realmente inspirada!!!!!!
Maso que ela tem contra os que querem aprender HTML???? heim???
srrsrsrsrss............
Até eu que sou uma tapada em net consegui aprender alguma coisa!!!!
E não sou maluca!!!!
Tá, ok, só um pouquinho!!!!!kkkkkk.......
Bjossssss...........

Sono disse...

agora eu quero coca e num tem aqui...
droga :(

CĿεأðأαηє ✭ disse...

EEHH....bem que eu tentei ser uma programadora...
pena que não deu certo...